Subscrever RSS
banner

Angola reforça empenhamento no desenvolvimento das TIC

A República de Angola está a marcar novamente presença na Comissão de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento das Nações Unidas ( UN-CSTD ), órgão subsidiário do Conselho Económico e Social (ECOSOC), que fornece orientações sobre as políticas globais e nacionais no domínio da tecnologia de informação, reunida na sua XVI Sessão em Genebra ( Suiça ).

Mais uma vez, o Governo de Angola através do Secretário de Estado para as Tecnologias de Informação, Prof. Pedro Sebastião Teta, reforçou os compromissos assumidos e os progressos alcançados pelo Executivo na área da Tecnologia de Informação de acordo com o Plano de Acção para a Sociedade de Informação, apresentado em 2005 durante a Cimeira Mundial da Sociedade de Informação e cuja concretização tem merecido os maiores elogios no alargado panorama internacional.

Na intervenção efectuada no início da semana, Pedro Sebastião Teta, sublinhou a importância de promover a disponibilização das tecnologias de informação ao mais alto nível de infraestruturas ao mesmo tempo que desenvolve o conhecimento sobre a utilização dessas mesmas tecnologias ao nível da população angolana e de forma descentralizada.

O Secretário de Estado explicou que entre os seus principais objectivos está a criação e o desenvolvimento de uma governação electrónica mas também a melhoria das infraestruturas da administração pública existentes, o aumento da formação das TIC para jovens, o incentivo ao investimento de empresas internacionais em Angola e à transferência de conhecimento a técnicos angolanos que potencie a implementação e gestão de uma indústria nacional das TIC.

Para atingir estes objectivos, o Governo angolano, através do Ministério das Telecomunicações, iniciou a construção do projecto de infraestrutura do primeiro campus tecnológico situado em Camama, cujos dois primeiros centros de dados e processamento ( datacenters ) foram já inaugurados em 2012, estando planeado o início de construção do terceiro que para além de aumentar a capacidade instalada permitirá aumentar os níveis de redundância dos sistemas já existentes.

Neste campus tecnológico poderão e deverão colaborar empresas e meio académico, investindo numa cultura de investigação, atracção e retenção de talentos nacionais, «ao mesmo tempo que as infraestruturas fornecerão serviços a todos os sectores de actividade pública e privada».

No quadro das necessidades nacionais foi reforçada a intenção de Angola em não cingir as infraestruturas, tecnológicas e de conhecimento, à capital do país, mas sim a todas as regiões importantes do território descentralizado e levando um relevante desenvolvimento a nível local. «É também uma prioridade do Governo», afirmou Pedro Sebastião Teta que simultaneamente informou que já de há cinco anos a esta parte se iniciou a instalação de redes estruturadas de fibra óptica em todo o País enquanto são crescentemente lançadas bibliotecas multimédias, designadas por Mediatecas, que a prazo cobrirão uma significativa parte do território ao serviço do conhecimento e formação da população.

Em relação à educação, Pedro Teta relembrou o percurso iniciado pela República de Angola desde a chegada da paz em 2002, com um investimento a todos os níveis que permitiu passar de 30 mil para mais de 120 mil estudantes no ensino superior com um número de instituições nesta natureza de duas para vinte e duas, numa abordagem de mitigação das fragilidades no domínio do capital humano.

A XVI Sessão da Comissão de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento das Nações Unidas deverá terminar no final da semana vendo debatidas àreas como a ciência, tecnologia e inovação para as cidades sustentáveis e comunidades peri-urbanas e Internet de banda larga para uma sociedade digital inclusiva.

Fontes de informação: ANGOP e Gabinete do Secretário de Estado.

 
 

Outros artigosVoltar à Página Principal

Mediateca do Soyo celebrou mês da Criança

Mediateca do Soyo celebrou mês da Criança

Com o mês de Junho consagrado às crianças, a Mediateca do Soyo não deixou passar as efemérides e assinalou o «Dia Internacional da Criança» e o «Dia da Criança Africana», respectivamente nos dias 1 e 16 do mês. Para o «Dia Internacional da Criança», no primeiro dia do mês, a Mediateca optou por acolher mais

Mediateca do Soyo na Feira do Livro e das Artes

Mediateca do Soyo na Feira do Livro e das Artes

No passado dia 9 de Junho realizou-se a «Feira do Livro e do Artes» nos espaços exteriores do Hotel Nepanzu, numa iniciativa conjunta da Mediateca do Soyo com a Associação Amigos do Saber. Com o objectivo de promover o gosto pela leitura e pela pesquisa, a exposição contou com as presenças dos escritores Victor Hugo

ReMA visitada pelo Partido Comunista Português

ReMA visitada pelo Partido Comunista Português

A Rede de Mediatecas de Angola recebeu a visita de uma delegação do Partido Comunista Português (PCP), que este presente no país na terceira semana de Junho, a convite do Comité Central do Movimento Popular de Independência de Angola (MPLA). Chefiada por Pedro Guerreiro, membro do secretariado do Comité Central do PCP e responsável pela

Mediateca do Lubango sempre próxima dos jovens

Mediateca do Lubango sempre próxima dos jovens

Na continuidade do plano anual de actividades, a Mediateca do Lubango assinalou o mês de Junho e mais exactamente o dia 1 dedicado ao «Dia Mundial da Criança» com uma extraordinariamente animada visita dos pequenos alunos da segunda classe do Colégio P.S.V. O muito jovem grupo visitou, conheceu e utilizou os diversos espaços e meios

Ambiente debatido na Mediateca do Huambo

Ambiente debatido na Mediateca do Huambo

Em alusão ao «Dia Mundial do Ambiente», a Mediateca do Huambo realizou, no passado dia 7 de Junho, uma palestra subordinada ao tema «Educação e Gestão Ambiental» presidida por Sara Fernandes Cruz, engenheira e PhD em hidrogeologia, professora do Instituto Superior Politécnico da Universidade José Eduardo dos Santos. Na sessão foram debatidos temas relacionados com

Ler mais

Rede de Mediatecas de Angola

Redes Sociais

© ReMA 2012 | Rede de Mediatecas de Angola | Todos os direitos reservados.